Anne se foi….

Sentada em um banco de um parque está Anne Clark. Ela olhava para as crianças correndo , as mães gritando, todos caminhando e como num surto resolveu se levantar e ir até às pessoas. Ao perceber que passava literalmente por dentro delas e as atravessava. Perguntou? – Ei, você…está me vendo ?Começou desesperadamente a gritar e foi assim por intermináveis quase uma hora. Anne cansada de não ser ouvida resolveu caminhar lentamente respirando profundamente sem saber onde estava e porque ninguém a percebia. Após muitos passos lentos ela enxerga uma casa Branca e uma multidão fora dela. Curiosa Anne resolve se aproximar, e logo quando percebe, já estava dentro da casa. Naquele instante começou a reconhecer várias pessoas . Seu irmão Brandon, sua tia Lourdes – e sentada numa poltrona na sala – sua velha e amada mãe Suzan cabesbaixa. Anne tentou desesperadamente conversar com eles mas não a viam e nem ouviam. Quando por impulso resolve dar mais alguns passos – se depara com um caixão no meio da sala. Assustada , aproximou se crendo ser seu velho e já doente pai Franklin que partirá. E para sua surpresa, ao olhar pelo pequeno vidro da tampa amadeirada viu o seu rosto. Anne não acreditou. – Não!!!! Ela estava viva ontem . Não podia ser verdade. Novamente o desespero tomou conta dela e, angustiosamente, tentou falar com todos. Nada. Ninguém a via. Só ela mesma. Em sua mente começou a se questionar : – Não posso ter morrido sem dar um último beijo na mamãe. Sem brigar pela última vez com papai e gritar com Brandon para sair logo do banheiro, pois, eu estava atrasada para o trabalho! Não posso ter morrido! (Pensou ela). Não casei. Não terminei a minha pós graduação. Não me despedi das minhas amigas. Mas sim ,Anne se foi – vítima de um infarto fulminante na noite anterior. Seu pai aos berros gritava entre prantos e salivas de desespero: – Eu quero minha Anne!!!! De repente, a sala foi tomada por uma luz que a todos por minutos cegou. E Anne se viu subindo…. subindo…..e quanto mais longe do frio piso da sua casa, e mais alto estava, ela sentia paz. E assim Anne desapareceu entre nuvens Brancas . Anne se foi sem terminar ou fazer o que acreditava que sempre teria um próximo dia pra fazer,refazer e concluir….E assim é a vida.

Robson Nunes Autor

Foi professor acadêmico por mais de 4 (Quatro) anos - teve cerca de 500 alunos. Suas palestras foram assistidas por mais de 30.000 ( trinta mil ) pessoas ( Ainda dedica-se à palestrar e ao ofício de professor ). É autor do "Livro Capacitação Fiscal e Tributária". Também autor de poemas, crônicas variadas e artigos. Escreve sobre contabilidade, finanças, política, economia, gestão de pessoas, e gestão em geral . Suas crônicas foram e são publicadas em jornais de circulação nacional, revistas e outros blogs. Sua formação começa como Técnico em Contabilidade, Bacharel em Letras, Bacharel em Contabilidade, duas pós graduações, mestrado, doutorado e vários cursos em áreas diversas. Hoje dedica-se as suas empresas de gestão empresarial, consultoria, contabilidade e tecnologia, Ao seu Blogue: www.blogdorobson.com.br e ao Canal Sementes Robson - Oficial - no YOUTUBE - Em que fala sobre assuntos diversos (gestão de pessoas, finanças, motivação), e compartilha vídeos de outros profissionais que considera relevante. O objetivo do BLOGUE DO ROBSON é com uma abordagem moderna, simples e isenta de moralismo tratar sobre assuntos diversos, mas, tendo como base - não a razão, e sim, o compartilhar de conhecimentos pessoais, parciais e imparciais em sua grande maioria. Alguns focos são: Gestão de pessoas, finanças, profissões, poemas, contos diversos, motivação, política e assuntos gerais ( Nada com extrema profundidade - e nem raso demais - que não possa plantar uma semente no seu pensamento sobre todo e qualquer assunto!). Afinal, saber o que realmente importa, sobre variados temas, ou mesmo se entreter é o que torna uma pessoa capaz de gerenciar sua própria vida! E transforma o conhecimento em algo agradável e interessante. Seja bem vindo (a) ao BLOGUE DO ROBSON. Se gostou divulgue! E compartilhe! ( Agradecemos aos leitores assíduos que compartilham os textos!). Esclarecemos que não disponibilizamos os comentários dos leitores - diante da quantidade - para que estes não tirem o foco dos textos.